Conselho de Ética tem seis senadores envolvidos na Lava Jato

Conselho de Ética tem seis senadores envolvidos na Lava Jato

Corrupção, obstrução da Justiça, estelionato, violência doméstica, fraude, lavagem de dinheiro. Esses são alguns crimes que podem levar um parlamentar a entrar na mira do Conselho de Ética do Senado. No entanto, essas são acusações que pesam sobre mais de uma dezena de membros da nova composição do próprio colegiado.

Após meses de atraso, o conselho começou a ganhar forma novamente, conforme os partidos finalmente passaram a indicar os 30 novos membros, entre titulares e suplentes. Vinte e quatro já foram indicados pelas bancadas, informa o Terra.

Entre eles estão o senador Romero Jucá (PMDB-RR), que responde a oito inquéritos no STF, e o primeiro senador condenado pelo Supremo Tribunal Federal desde a redemocratização, Ivo Cassol (PP-RO). No total, há seis senadores investigados ou citados no âmbito da Operação Lava Jato, e dois no caso JBS. Um dos membros ainda é acusado de violência doméstica, e outro renunciou ao mandato de senador nos anos 2000 por suspeita de corrupção.

O Conselho tem como principal função apurar denúncias de quebra de decoro parlamentar, e pode recomendar sanções, inclusive a cassação de senadores. Uma das primeiras tarefas da nova composição será a de examinar a representação apresentada pela Rede e o PSOL contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), devido a seu envolvimento no caso da JBS e na Lava Jato.

02/06/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *