Polícia vai ouvir parentes de Garrincha e administradora de cemitério

Polícia vai ouvir parentes de Garrincha e administradora de cemitério

A Polícia Civil deve ouvir, já na próxima semana, três pessoas em um inquérito que foi instaurado, nesta quita-feira, pelo delegado Antônio Silvino, da 66ª DP (Piabetá), para apurar onde está a ossada de Manuel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, e se houve ainda crime de violação de sepultura.

De acordo com o delegado Antônio Silvino, deverão ser intimados para depor Rosângela Cunha dos Santos, filha de Garrincha, que revelou o sumiço da ossada, e ainda João Rogoginsky, informa o Extra.

Este último é sobrinho do ex-jogador e proprietário do jazigo coletivo onde Garrincha foi enterrado.

Também será ouvida a administradora do Cemitério municipal de Raiz da Serra., que admitiu não saber o local exato onde está sepultado a ossada de Mané Garrincha.

O nome do ex-jogador consta em duas sepulturas do cemitério. A primeira, é um jazigo coletivo, localizado na parte baixa do terreno. A outra fica na parte superior, num ponto com um obelisco, e foi construída dois anos após a morte de Mané.

A dúvida sobre a ossada de Garrincha surgiu após a Prefeitura de Magé descobrir , ao planejar uma homenagem para o craque, que uma exumação havia sido feita, há alguns anos. Não existe nenhum documento, no entanto, que comprove a realização do procedimento e a transferência para uma segunda sepultura.

Para tentar resolver a dúvida, a Prefeitura de Magé acenou com a possibilidade de realizar a exumação dos corpos que estiverem nas duas sepulturas. Após este procedimento, amostras dos restos mortais seriam colhidas para saber, através de um exame de DNA, se alguma das ossadas é a de Garrincha.

O procedimento ainda depende de uma autorização da família ou do dono do jazigo coletivo, no caso João Rogoginsky. Uma reunião entre familiares de Garrincha vai tratar do caso nos próximos dias.

Segundo a polícia, se ficar confirmado o crime de violação de sepultura, os responsáveis estarão sujeitos a uma pena que varia um a três anos de prisão.

Nesta quinta-feira, Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, lamentou que o cemitério de Raiz da Serra, em Magé, na Baixada Fluminense, onde Garrincha foi sepultado, em 1983, não saiba onde estão os restos mortais do ex-jogador do Botafogo e da seleção brasileira.

— Eu lamento porque ele era um dos grandes parceiros meus na seleção. É uma pena que esteja acontecendo isso com um ídolo que tanto promoveu o Brasil em todo mundo —disse.

02/06/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *